sexta-feira, 26 de maio de 2017

PRESIDENTE DO BNDES,MARIA SILVIA BASTOS ALEGA ''RAZÕES PESSOAIS'' E DEIXA GOVERNO TEMER

Maria Silvia Bastos Marques não é mais presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).  No posto desde 1º de junho de 2016, a economista pediu demissão nesta sexta-feira (26) e, em nota endereçada aos colegas de BNDES – a quem chama de “benedenses” –, alega “razões pessoais” para deixar a instituição (veja íntegra da nota abaixo). Ela já havia comunicado sua decisão ao presidente Michel Temer, que enfrenta a mais grave crise de seu governo desde a posse temporária, em 12 de maio do ano passado.
A assessoria de imprensa do BNDES informa que o diretor da Área de Administração e Recursos Humanos, Ricardo Luiz de Souza Ramos, engenheiro mecânico e funcionário de carreira do banco de 2003, assumirá o comando da instituição interinamente. Temer ainda não decidiu quem será o substituto de Maria Silvia.
Também por meio de nota (íntegra abaixo), Temer manifesta “profundo agradecimento” à agora ex-presidente do BNDES. “Seu trabalho honrou o governo e moralizou um setor estratégico para o país, despolitizando a relação com o setor empresarial e elegendo critérios profissionais e técnicos para a escolha de projetos a serem contemplados com financiamentos oriundos de recursos públicos”, diz o presidente.
Biografia
Doutora em economia, Maria Silvia assumiu em janeiro de 2007 a presidência da Icatu Hartford, grupo líder em seguros de vida, Previdência e capitalização, no ranking de empresas sem relação com bancos de varejo. Também presidiu o Instituto Brasileiro de Siderurgia (IBS).
Na administração pública, foi coordenadora da área externa da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda, assessora especial para assuntos de desestatização do BNDES e, também, da área financeira e internacional do BNDES.
Foi convidada a comandar a CSN, a quinta maior empresa nacional. Mais do que para comandar, para reestruturar a companhia, privatizada 3 anos antes. Sua missão era preparar a CSN para enfrentar a competição numa economia cada vez mais globalizada. Ela se dedicou à reengenharia e à participação da CSN na privatização da Light, com base em sua experiência em desestatização da época em que trabalhava no BNDES.
Até dirigir a CSN, Maria Silvia era a secretária de Fazenda da prefeitura do Rio de Janeiro. Lá, ficou conhecida como “a mulher de 1 bilhão de dólares”, montante que conseguiu amealhar para os cofres da cidade em seus últimos meses no cargo. Agora, essa quantia dobrou: está no topo de uma empresa com um faturamento anual de dois bilhões de dólares.
Confira a nota de Temer:
“O presidente da República, Michel Temer, manifesta seu profundo agradecimento a Maria Silvia Bastos Marques, que presidiu o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social de forma honesta, competente e séria por pouco mais de um ano.
Seu trabalho honrou o governo e moralizou um setor estratégico para o país, despolitizando a relação com o setor empresarial e elegendo critérios profissionais e técnicos para a escolha de projetos a serem contemplados com financiamentos oriundos de recursos públicos. Deixará como legado um modelo a ser seguido em toda máquina pública.
Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República
Agora, leia a íntegra da nota de Maria Silvia:
“Prezados benedenses,
Nesta sexta-feira, 26 de maio, informei pessoalmente ao presidente Michel Temer a minha decisão de deixar a presidência do BNDES.
Todos os diretores permanecem no cargo e o diretor Ricardo Ramos, pertencente ao quadro de carreira do BNDES, responderá interinamente pela presidência do Banco.
Deixo a presidência do BNDES por razões pessoais, com orgulho de ter feito parte da história dessa instituição tão importante para o desenvolvimento do país. Nas duas passagens que tive pelo Banco, como diretora, nos anos 90, e agora, como presidente, vivi experiências desafiadoras e de grande importância para a minha vida profissional e pessoal.
Neste ano à frente da diretoria do BNDES busquei olhar para o futuro, estabelecendo novos modelos de negócios e estratégias para o Banco, sem descuidar do passado e do presente, sempre tendo em mente preservar e fortalecer a instituição e seu corpo funcional.
Desejo boa sorte a todos, esperando que sigam trabalhando para que o BNDES continue sendo o Banco que há 65 anos faz diferença na vida dos brasileiros.
Um grande abraço,
Maria Silvia”
CONGRESSO EM FOCO