terça-feira, 23 de maio de 2017

ESTRELA SUPERNOVA A 50 ANOS-LUZ PODERIA INICIAR UMA EXTINÇÃO EM MASSA

Conforme uma estrela supernova cresce pode ter um impacto sério nas formas de vida do planeta Terra. A supernova representa a morte de uma estrela, e os pesquisadores descobriram mais sobre como essas explosões estelares já influenciaram uma vez a vida na Terra.
No ano passado, descobriram os efeitos do resfriamento do globo terrestre que uma supernova próxima trouxe para a Terra. Mas agora, uma equipe melhorou a medição e cortou pela metade a distância da explosão que ocorreu há 2,6 milhões de anos atrás.
O trabalho deles foi aceito na publicação no Astrophysical Journal, um dos mais importantes da área astrofísica. “Há ainda mais evidências dessa supernova agora”, disse Adrian Melott o autor principal da pesquisa. Os pesquisadores acreditam que os raios cósmicos desta supernova ajudaram nas mudanças na atmosfera e no habitat da África.
A partir desses efeitos, esta nova pesquisa aponta que uma supernova possa colocar a raça humana em risco a 50 anos-luz de distância.
“As pessoas estimaram a ‘zona de morte’ para uma supernova em um jornal no ano de 2003, e chegaram a cerca de 25 anos-luz da Terra. Agora pensamos que talvez seja um pouco mais do que isso, eles deixaram alguns efeitos de fora ou não tinham números mais precisos, então agora nós pensamos que possa ser uma distância um pouco maior”, disse Melott.
“Mas nós pensamos algo mais como 40 ou 50 anos-luz. Portanto, um evento em uma distância de 150 anos-luz deve ter alguns efeitos aqui na Terra, mas não desencadearia uma extinção em massa”, acrescentou.
Supernovas explosivas emitem uma forte luz, neutrinos e partículas carregadas com alta velocidade. Os neutrinos e essas partículas carregadas, que são geralmente conhecidas como raios cósmicos, poderiam penetrar facilmente a atmosfera da Terra, e se isso acontecesse, não seria uma dose letal, mas seria o necessário para aumentar os casos de câncer em animais.
Os raios cósmicos são também causadores do aumento na ionização da atmosfera, o que causaria mais relâmpagos e incêndios, e isso poderia ter sido o que causou a perda das florestas na África há milhões de anos atrás.
Os efeitos dos raios cósmicos apontam que as supernovas podem ser aterrorizantes, mesmo a uma distância supostamente segura. Mas não tenha medo, a supernova mais próxima da Terra, Betelgeuse, está a 600 anos-luz de distância.

Jornal Ciência